Êxodo Cap. 17, 18 e 19

Shemôt – Êxodo Cap. 17, 18 e 19

——- Considerações Importantes! ——-

Êx. 18:10-12   ” E disse: Bendito seja o Senhor, que vos tirou das mãos dos egípcios e da mão de Faraó; agora, sei que o Senhor é maior que todos os deuses […] Então Jetro, sogro de Moisés, tomou holocausto e sacrifícios para D’us […]”

Jetro, sogro de Moisés, um midianita, era um homem equilibrado e sensato, era sacerdote da tribo de Midiã, nas montanhas de Moabe, e não estava com o D’us de Israel. Moisés foi preparado por D’us para exercer a liderança sobre o povo israelita, no deserto, cuidando do rebanho de Jetro, o instrumento usado por D’us nesse processo de preparação. Muitas vezes, D’us usa até pessoas incrédulas para nos tratar, como constatado nesse caso.

Ao ficar sabendo que D’us havia libertado o povo hebreu por intermédio de Moisés, saiu com os filhos e a mulher deste ao seu encontro, no deserto. Quando se encontraram, Moisés contou as maravilhas que o D’us de Israel havia feito com o povo, como fez juízo sobre faraó e os egípcios lançando sobre eles as pragas enquanto livrou o povo hebreu de todas elas, como abriu o mar Vermelho e como fez chover o maná, Jetro alegrou-se pelo o que o Senhor fizera. Ele imediatamente se converteu ao D’us de Israel.

Êx. 18:13-20 “No dia seguinte, assentou-se Moisés para julgar o povo; e o povo estava em pé diante de Moisés desde a manhã até ao pôr do sol. Vendo, pois, o sogro de Moisés tudo o que ele fazia […] disse: Que é isto que fazes ao povo? Por que te assentas só, e todo o povo está em pé, diante de ti, desde a manhã até o pôr do sol. Respondeu Moisés ao seu sogro: É porque o povo me vem a mim para consultar a D’us; quando tem alguma questão, vem a mim, para que eu julgue entre um e outro, e lhes declare os estatutos de D’us e suas leis. O sogro de Moisés, porém, lhe disse: Não é bom o que fazes. Sem dúvida, desfalecerás, tanto tu como este povo que está contigo; pois isto é pesado demais para ti; tu só não o podes fazer. Ouve, pois, as minhas palavras; eu te aconselharei, e D’us seja contigo; representa o povo perante D’us, leva as suas causas a D’us, ensina-lhes os estatutos e as leis e faze-lhes saber o caminho em que devem andar e a obra que devem fazer.”

Vejam a complexidade dessas palavras. Aqui vemos um exemplo de profunda sabedoria. Vendo Moisés cansado, abatido, sozinho resolvendo os problemas do povo, Jetro o aconselha, em vez de se resolver os problemas, ensinar o povo a andar no caminho, por meio da Palavra de D’us. Aqui há um segredo de liderança que a Igreja, isto é, nós, precisamos aprender. O recém-convertido Jetro viu que tudo estava errado, que Moisés não podia assumir tudo aquilo sozinho porque ele cairia e perderia o controle de toda sua liderança – porque era muita carga – para sozinho carregar, embora ele tivesse um relacionamento tão íntimo com D’us.

Êx. 18:21,22 “Procura  dentre o povo homens capazes, tementes a D’us, homens de verdade, que aborreçam a avareza; põe-nos sobre eles por chefes de mil, chefes de cem, chefes de cinquenta, chefes de dez; para que julguem esse povo em todo o tempo. Toda causa grave trarão a ti, mas toda causa pequena eles mesmos julgarão; será assim mais fácil para ti, e eles levarão a carga contigo.”

Moisés dividiu as tarefas e levantou líderes para ajudá-lo, homens com capacidade, tementes, verazes, não avarentos (não apegados ao dinheiro) e aptos a não receber suborno. Temos hoje no judaísmo, os miniam (um quorum) formado por dez homens adultos. Cremos que esse critério para divisão de tarefas se aplicado a qualquer organização ou a empresa, traria profícuos resultados. O organograma proposto por Jetro foi o seguinte:

Exemplo (nível hierárquico)

1 x 10 = 10 → chefia de 10 – Diretoria
10 x 50 = 500 →  chefia de 50 – Superintendentes
50 x 100 = 5.000 →  chefia de 100 – Gerentes
100 x 1000 = 100.000 →  chefia de 1.000 – Chefes de Serviços

Temos visto, pelos meios de comunicação, que o mundo está um caos, tamanha corrupção do homem, e isso, consequentemente, afeta as diversas áreas da vida da própria humanidade no planeta. Até a natureza tem sido afetada. Porém, este é o espelho do mundo e não o espelho de D’us. A igreja irá sempre de bem a melhor se não viver na dependência do sistema do homem para “ter” e “receber”, mas sim na dependência do D’us Eterno, para “ser” a benção, ser bem-sucedida e próspera.

Êx. 19:5 “Pois agora, se atentamente ouvirdes a minha voz, e guardardes a minha aliança, então sereis a minha propriedade peculiar dentre todos os povos: porque toda a terra é minha.”

“Se ouvirdes a minha voz…” – “Ouvir” (heb. Shemá) = obedecer. Poucos ouvem a voz de D’us, e o que ouve obedece, permanecendo na Sua aliança. D’us quer um “pacto” – Brit = “aliança”, de dam = “sangue” – uma “aliança de sangue” com você. D’us não quer que você tenha simplesmente uma religião, mas que entenda que Ele celebrou com você, por intermédio de Jesus, um pacto, uma aliança eterna. Mesmo que sejamos infiéis a esse pacto, o Senhor cumpre a Sua parte. Se você ouve a Sua voz, Ele vai firmar esse pacto com você, e revelar o seu direito nele. Aquele que guarda a minha aliança, será a minha possessão. Possessão (heb. segulá) aquele que é propriedade particular”. Nós somos de D’us, e Ele nos vê como Sua propriedade particular. Não somos possessão de nossos pais ou de quem quer que seja, somos de D’us. Quando o crente começa a entender is conceitos contidos na Torá, sua mente se torna menos confusa, seus problemas não são insolúveis, pois ele adquire a capacidade de dominar, estabelecer, de se auto-controlar, porque ele é um segulá. O propósito de D’us é mostrar quem você é, revelar a você seus direitos, como filho de D’us, pois você é propriedade particular dEle.

Êx. 19:6 “[…] vós me sereis reino de sacerdotes e nação santa.”

A palavra em hebraico é Mamléchet Kohanim – “Reino Sacerdotal”. Cohen – “sacerdote, aquele que ministra, conselheiro confidencial.” Ele se relaciona com D’us, é uma possessão particular com um ofício sacerdotal.

Êx, 19:10-16 “Disse mais o Senhor a Moisés: vai ao povo e santifica-os hoje e amanhã.”

D’us mandou o povo pufificar-se, lavar as vestes, abster-se de sexo, não tocar nada impuro para o encontro com Ele, no terceiro dia. Ordenou D’us: “não traspasse o povo o termo ao redor do monte para não morrer”.
D’us queria um povo “batizado”, mergulhado na sua presença, consagrado para Ele.

Êx. 19:18,19 “Nisso todo o monte Sinai fumegava.”

O Monte Sinai fumegou e tremeu (como num terremoto), e ouvia-se o clangor da trombeta (shofar) e muitas vozes (como em Pentencostes).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>